terça-feira, 25 de março de 2008

Eu deletaria os "ventos"

Era noite de festa...eu observava o fogo que se mantia aceso pelo querosene dentro da garrafinha no alto de um bambu.
Enquanto muitos lá dentro cantavam, outros cozinhavam, eu recepcionava os convidados ao lado de um bambu com uma garrafinha de cerveja cheia de querosene com um pavil onde estava o foguinho queimando a pontinha do pavil.
Me inspirei nesse "foguinho" para este post.
O fogo era forte! apesar de não passar de uma pequena chama presa a um pavil, e apenas um, ou seja, seu espaço era bem limitado. Ele tinha, parecia ter, forças pra expandir muito ainda, causaria um belo incêndio. A fumaça também era forte. Esta não se decidia em que direção seguia, afinal de contas o vento a guiava, mas era forte. O pavil era um inútil! não passava de uma "cordinha" que deixava o fogo agir, POR CAUSA DO QUEROSENE, senão, coitado, seria ainda mais: um simples inútil pedaço de pavil!
Então eu observava a fumaça e todo o processo de querosene--> pavil--> fogo... e meus olhos começavam a lacrimajar...

Tenho percebido que eu não passaria de "um simples inútil pedaço de pavil" se não fosse Deus em minha vida, mantendo o Espírito Santo aceso, guiando meus passos, além da direção *contrária que as circunstâncias paracem estar.
Esses ventos...
As horas e os dias não parecem colaborar com obrigações e necessidades.
As realizações parecem ser tão desproporcionais aos sonhos.
O ombro amigo parece que desaparece em meio a rotina.
Os joelhos parecem não se dobrar...
A fé parece estar embaçada...
A coragem... se houver. . .?!
Tudo parece se resumir a um gigante Ponto de Interrogação.

Mas lágrimas sozinhas não movem a Deus
O desespero não intimida Deus...
Sei que a fé é a única voz que Deus respeita.

A fumaça podia seguir pra qualquer direção por causa dos ventos, mas o Fogo estava ali e não deixava de sustentá-la. O Pavil não tinha como se distanciar do Querosene que mantia o Fogo aceso.
Posso querer mudar de direção, por causa de meras cisrcuntâncias, me fingindo forte. Posso querer alimentar maus pensamentos e sentimentos. Mas não quero me distanciar do Deus que mantém o Espírito Santo aceso em mim.

Então...
"Escolho o amor...
Não há injustiça que justifique amargura. Buscarei amar mais a Deus e o que Ele ama.

Escolho a alegria...
Convidarei o meu Deus para que seja o Deus da circunstância. Recusar-me-ei a ver qualquer problema como nada menos que uma oportunidade de ver Deus.

Escolho a paz...
Viverei o perdão. Perdoarei para que possa viver.

Escolho a paciência...
Negligenciarei as inconveniências do mundo.

Escolho a generosidade...
Serei generosa para com o mau, pois é assim que Deus tem tratado a mim.

Escolho a virtude...
Confessarei antes que seja acusada.

Escolho a mansidão...
Se levantar a minha voz, que seja apenas em louvor.

Escolho o autocontrole...
Embriagada apenas pela alegria, comovida apenas pela minha fé, influenciada apenas por Deus, serei ensinada apenas por Cristo.
São as escolhas que faço ainda que os "ventos" estejam em outra direção. Caso eu seja bem sucedida, louvarei a Deus. Se falhar, buscarei sua graça. E então, ao anoitecer, colocarei minha cabeça sobre o travesseiro e descansarei."
Acredito que quando o céu está em silêncio, Deus está agindo.

(Para a edição desse post, pedi conselhos de Deus, Mike Murdock e Max Lucado)

ps: http://www.youtube.com/watch?v=K_rM0G_U0dI homenagem ao post ;)

Versão Dumbo (elefantinho gotoso) http://www.youtube.com/watch?v=f6VX_aNo0zs&NR=1