sábado, 30 de agosto de 2008

. . .

"Pra quê?
Escrever o quê?
Se é pra escrever nada demais, então pra quê escrever?
O que fazer aqui?
...
Justamente isso.
Nenhuma expressão de sentimento verdadeiro.
Nenhuma expressão de emoção verdadeira.
Nenhum ser na face da T/terra que saiba a verdade.
Nada a compreender por não haver quem compreenda.
Nada a se quer entender...
Pishhhhhhhhhh.
Não fale. Não se expresse. Evite contar seus sonhos. Cuide de sua voz.
Trabalhe. Estude. Calada.
Só a escutar.
. . .
Sim. Graças a Deus alguns dos poucos excelêntes amigos têm escutado. Mas até agora, nada mudou. Nenhuma coragem me resta para dobrar os joelhos... nenhuma fé de que vai mudar na realidade. . .
Nada. Nenhum. Ninguém.
Ainda assim, se eu morrer hoje. Com certeza seria feliz. Não estou. Mas tenho a convicção de que sou.
Outro dia ensinei para crianças a respeito da grande diferença entre Pai e pai. Só uma acertou. Muitas desabafaram em relação ao tratamento (ou falta dele) entre pai e filho dentro de casa, mas uma escreveu: "Para Deus nada é impossível"
Quando eu era a que menos acreditava, eu ensinei, eu expliquei, eu demonstrei em práticas e sim, elas corresponderam com grande atenção e seriedade, deixando a "tia" impactada.
O céu está coberto de nuvens hoje. Será que desta vez a chuva vem?
Descobri que sou defeituosa.
Percebi que que não consigo largar algumas "cruzes" dos outros.
Sei que estou me formando no curso que não é o dos meus sonhos e que "não é minha cara."
Não consigo.."nem uma" só lágrima. Uma só agonia. Que agonia ficar guardando.
Nada. Nenhum. Ninguém.
Deus pode, mudar o "Nada".
Um pequeno post...só pra soltar... já que não consigo me expressar verbalmente e não posso pessoalmente.
Se quiser, delete esse post."

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Outro dia aí. . .deletei o palco.

Não sei como começar.
Não sei por onde começar.
Vou, apenas, começar.
Outro dia, ouvindo os noticiários ambulantes, me deparei com acontecimentos estrondosos, surpreendentes. Vi que muitas vezes o mundo REALMENTE dá voltas e o outro lado da moeda é muito interessante!
Certa feita me disseram que estavam assistindo minha vida da arquibancada.
Certa vez, minha vida estava sendo assistida da arquibancada.
Hoje, após a voltinha do mundo. Estou eu na arquibancada... "vendo o palco pegar fogo". Sensação interessante conferir a fidelidade de Deus! após ser julgada, julgada: tchanãããã!!! olha só o que acontece com o espetáculo de meus "acusadores de carteirinha"???!!!
Você agora pensa: "nossa, que grossa essa Larissa"
Caaaalma.
Optei por descer da arquibancada. Num já disse que deletei o espectadorismo???
Pois é desci. E sabe por que? Porque 99% da galera acomodada nesse lugar, excerce papel de acusador.
Não, muito obrigada. Não sou """sábia""" pra isso, não sou Deus, não sou advogada.
Provérbios 17:14 diz - Como o saltar das águas é o início da contenda, assim, antes que sejas envolvido afasta-te da questão.
(Caramba! até sobre isso a Bíblia fala!!!)
Decidi então, conquistar meu *super-ego com a felicidade.
Em uma conversa de 6 horas com um bom amigo descobri que além dos problemas, o que vale é a felicidade. Após sua descrição de problemas sentimentais, profissionais, psicológicos ele disse: "Mas Lara, se eu morresse agora, eu morreria feliz" e após ter pensado "por favor não morra agora", pensei: "que legal! por que não sou assim?" rs
Sim, eu sei e tenho que assumir a mim mesma, apesar de ser ruim, Sou imperfeita! ö (sou normal) reclamo muitas vezes além da perfeita condição do cuidado de Deus para comigo, meus vizinhos, amigos, família. Mas ao menos nisso posso ser (buscar ser) perfeita. Se eu morresse hoje? - Bom, meus poucos são excelentes amigos; um ótimo emprego para minha capacidade; uma amável igreja; uma família que me abraça (até os que estão sem me abraçar há meses o fariam se eu fosse morrer! eu acho); um Deus que me ama. E somando ainda o fato que já tomei açaí suficiente... SIM, se eu morresse hoje, morreria feliz.
É. Não sei se dexei posts o suficiente mas, caros leitores, se eu não postar novamente, saibam que FUI feliz (enfatizando o fato que este FUI é de partida, não de passado. Afinal, sim chorei muuuuitas vezes, de dodói à saudade todos os tipos de lágrimas jorrei)
Sair do palco, descer da arquibancada, é muitas vezes ignorar a torcida e deixar de ser o """sábio""" que muito fala pra O sábio que se cala.
É reconhecer que sim, Deus é capaz de "girar" o mundo e fazer justiça a qual COM CERTEZA não é aquela que você imaginou, esperou ou preferia. Garanto que é bem melhor. Muitos assistiram essa minha transferência de palco --> arquibancada, agora, vejam-me aqui, memorizando Provérbios 17:14 (e vários outros que relatam a sabedoria do que se cala)!!!
Enfim... Sim, essa parte é o fim do meu, talvez, last post.
"Nossa que horrível Larissa!"
"Não! olha só que legal. Sou tão feliz!!! Posso não estar, mas sou! O que é algo muito mais constante que estar!!! eu sou feliz e tenho aprendido a repetir isso a mim mesma todas as manhãs... aliás, *tentar fazer isso amanhã com certeza vai fazer meu dia diferente! Puxa, eu devia postar todos os dias antes de dormir, pra ver se eu mesma não me convencia de alguns dos bons conceitos que escuto por aí"
. . .
Abraço a todos. Espero que o post esteja compreensível.
Mas se não, tudo bem. *Acho que eu entendo.
Só pra fixar: O outro lado da moeda é MUITO mais interessante quando podemos ser feliz sem precisar acusar o outro, principalmente quando se trata de passado.
. . .
Acho que foi um bom começo.