terça-feira, 23 de setembro de 2008

Delete as "pestanas"!!!!

É uma melodia que quem sabe soe como música... a questão só é: não! nada de pestanas! Fá, Si... NOPS!
Não recorri aos acordes corretos, à afinação...na verdade, a deletei antes mesmo de pensar em tocar!!!

Mas deu certo. Com Fá e algumas outras pestanas, eu acho. Meu papel é só passar a melodia. O tom, os acordes... pode tomar conta deles!
E ele tomou =D
(não sabia de chorava, ria ou...cantava!)

Quem pôde abrir o mar?
O doente sarar?
Morrer em meu lugar?
Meu pecado perdoar?
...
De joelhos me prostro...
De coração adoro....
A Jesus,
Filho do Deus do Impossível!
Deus do Impossível (3x)


Por onde andou fez milagres
Por onde andou curou
E ao derramar Seu sangue
Minha vida restaurou

Deus do Impossível...

Música (melodia + letra) que passou a existir, sem conhecimento prévio do Dó, Ré, Mi, etc, entre as seis cordas que o violão me oferece, no dia 10 de Setembro de 2008.
Finalmente cantada com trilha sonora afinada hoje, de 22h40 mais ou menos até 23h25, algo assim, "voz"(aqueles gritinhos rocos), melodia e letra com a Lara, arranjos (talento nos acordes afinados e perfeito tom de voz) com direito à dedilhado, Léo.
Local? QE 36 conj C...em frente a casa dele. No carro devedor de IPVA, no violão de 1983. No dia que menos esperei... em que a alegria era resultado de palheta e cordas como presentes para combinar com o novo violão envernizado, de 1983.
(Obrigada amigo. Por além de ser amigo, afinar o violão pra mim!!! A cada dia você tem amadurecido. Eu usaria até uma metáfora dizendo que você tem aprendido, com Deus, a afinar sua vida, seu caráter, sua liderança de forma sábia. Fico orgulhosa de ver isso e tolero com piedade os incapazes de mudar, incrédulos de mudanças que se acham juízes do saber)
Percebi então vizinhos... que quando não conseguimos realizar pestanas (seja "pestana" que for) e insistimos na constância do desafinado (seja a desafinação que for)...alguém (conselheiros(as), Deus)sempre aparece, e afina.
Percebi então...

que quando não conseguimos realizar pestanas e insistimos na constância do desafinado...alguém sempre aparece,
e afina.

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

ALERTA! Nada a deletar. Breve homenagem.

Aos acordes... à Deus.
Estive pensando.
E pensando eu descobri que amo muito meus amigos. Que amo muito a vida que levo.
Porém, descobri também que não aprendi a abrir mão.
"Abro mão dos meus sonhos, abro mão ... abro mão por Ti..."
Não. Nem o fardo que Deus quer carregar pra mim eu estava entregando.
Mas Ele avisou a alguns anjos aqui da Terra..os quais oraram por mim.
E em meio a todos os meus (diferentes amigos, parece que cada um é de uma espécie!) amigos, às minhas profissões, aos trabalhos de faculdade, às complicações (minhas e suas) impossíveis de se resolverem desde que EU tento solucioná-las.

PAREI . . .
Respirei fundo. . .
E cantei . . .

É saudade, sentimento que arde
Paixão... faz doer o coração
Angústia, coisa que passa
Amizade... não passa não

Percebi que é necessário, de verdade, abrir mão além do medo;
Que não tem jeito! A melhor forma é se concentrar no fato de que é ministério
e este é o chamado. É se concentrar no porquê Deus nos chama.
E ainda que eu não saiba, e nunca descubra a resposta. Ir, eu creio, ainda é, a melhor opção.

Senhor, alguns dias tenho medo
Amigos, quero sempre tê-los
Emoções... dispenso
Senhor, quero seguir o Teu vento

Pois ao te amar eu abro mão
Ao te amar entrego
Em Tuas mãos
Ao Te amar confio
Eu te amo e não abro mão

E pra não correr o risco de ir, ficar, atravessar a esquina e tombar, tropeçar... me machucar...
Decidi convidar o Espírito Santo toda vez que cantar essa música...
Senhor, alguns dias tenho medo
Amigos, quero sempre tê-los
Senhor, quero seguir Teu vento
Espírito: . . . vem comigo.

Música escrita no dia 21/09/2008. No templo da Igreja de Cristo em Brasília , durante a ministração da Palavra pelo Pr. Edson Lobo. No dia 22/09... desde 5h34 a Larissa arranhava as cordas do violão de aço de seu pai na tentativa de encontrar os acordes. SIM! Para sua surpresa ela conseguiu tirar os arcordes e essa será sua primeira musica que ela mesma vai tocar! :D
Não são muitos acordes, mas dos que são, ofereço a vocês.
A musica fica quase toda em Lá, Ré, Mi e Sol... numa melodia bem fofa espero que lhe fique na memória o suficiente pra entender que é necessário, de verdade, abrir mão.
Sei que das 7 notas só usei 4 e em uma ordem não muito bonita, digamos assim, mas quer saber? já deletei o afinado! ;)
Beijo vizinhos.. depois marcamos um brigadeiro na minha casa e eu toco pra vocês.
Saudades da vizinhança.

sábado, 20 de setembro de 2008

Delete o afinado.

O quê afinal de contas?

Pensamentos...
Pontão, pier, sorvete... eram 23h horas.
Chegar em casa, se concentrar nos acordes até a cama me puxar pelas "olheras"
Ler, elaborar, elaborar e elaborar aulas.
Se apaixonar?
"...que no peito dos desafinados também bate ..."
Os amores dos meus amores...andei reparando nelas e nas histórias deles.
"Só não poderá falar assim do meu amor, ele(a) é o maior que você pode encontrar, viu?"
Sim, impossível não ver se no momento, é isso que o olhar dos meus amores mostram.
Será que fazem bem? ...em meio tanta história que tal musica descreve:
"você disse que não sabe se não mas também não tem certeza que sim... quer saber...quando é assim"
Alguém sempre acabar cedendo "largar a mão do não, soltar essa luta, morrer de paixão..." É só dizer sim ou não... mas" alguém, sempre, adora o "se" remetindo o outro(a) ao "frio que vem lá do sul" Por que sempre tem um que leva a sério e ou outro disfarça??
Quando se conhece o(a) especial a graça se torna disfarçar o lado mais complicado do sentimento --> & <3
De qualquer forma, o que vale é o sorriso deles... o olhar apaixonado ao citá-las... o, se quer, digitar apaixonado...aquele clima bonito de se ver, complicado de se sentir.
E o 'meu amor'?
(Têm dito que estou com cara de apaixonada! =O rs)
Meus amores têm o direito de conhecê-lo (seja lá quem for)?
23h...ensinando forró sob conversas de lua, nunca mensionadas pessoalmente, sim, ficam só nas mensagens e melodias que às vezes acontecem em meio aos acordes desafinados.
Eles e elas.

Cada um tem seu jeito de consolar, de contar, de cultivar, de conquistar.
Amigos, amigas..e seus amores.
Amigos que me cuidam..como prefiro vocês! como prefiro cultivar vocês!
Ainda que alguns não tenham o passado confiável, ou que tenham a mania de não cultivar....
O passado eu dexei no passado. Se você não cultiva, Deus permitiu que eu fizesse parte dessa amizade pra cultivar.
Tanto faz se é pra ser assim ou não.

Viver a sensação de ida faz sentir o preenchimento do vazio que se sabe...

Viviendo la vida loca, curtindo um Carpe Diem é o que tenho feito além dos capítulos e títulos exigidos pelas monografias (que não entendo por quê, insistem em pedir ajuda à mais ausente n/das aulas!).

Ao final da aula de forró muitos bocejos.
Ao final de ritmos em acordes, dedos cascudos.
Ao final de todo dia... muita preparação para orar.
Que erro!
Faz diferença *preparar sem *ação?

Alguns se concentram em comprar uma bicicleta ou casar, me concentro em uma forma de me concentrar. E mesmo sabendo não haver como, em uma forma de mudar.
Não sei se o flerte, o tal papo de lua é real, não sei se os acordes soam certo. Não sei se vai acontecer de verdade... não sei se o sentimento de ida é em vão.
Não sei se se preparar é necessário. Não sei se meu amores conhecerão um dia o meu amor (rs). Não sei se vou conseguir ensinar português espanhol e inglês na mesma semana. Não sei se repitir tantas vezes "não sei" torna meu post insuportável ou compreensível.
O quê afinal?
Melhor me sentar aqui... em meio a estes 200 mil exemplares e me concentrar na tentativa de esquecer aquilo tudo. Sei que algumas coisas parecem incuráveis, que o tempo parece não colaborar e, ainda que, Deus pareça não ouvir...
pressa só faz perder e Deus sempre ouve e age.
Os acordes .... se desafinados?
Canto: "se você disser que eu desafino amor, saiba que isto em mim provoca imensa dor! Só privilegiados têm ouvidos igual ao teu. Eu posso apenas o que Deus me deu...Se você insiste em classificar eu mesmo mentindo tenho que argumentar...."
Não sei de nada, ou sei de pouco... Sinto. Ainda existe aquilo que achei ter perdido.
Sorrisos tímidos.
Olhares encantados.
Queria ter certeza do amanhã.
(mentira! muito mais emocionante a incerteza do duvidoso!)
Temo ter de cantar "Tienes que saber que es lo último que pido...no me queda mucho tiempo a mi favor Y antes de perder de vista mi camino quiero mirarte un poco y ..." ou ter de ouvir: "Quédate un segundo aquí a hacerme compañía y quédate tantito más quiero sentirte mía ..."
*Sem a mínima idéia de quem a escutaria, ou de quem a cantaria...
Desafinados e desafinadas não se preocupam em acertos mas palpitam riscos que o Sentimento manda encarar. Ainda que os acordes não saiam perfeitos, as tarachas sempre dão um jeito.
Nessas coisas se percebe.
"É que os desafinados também têm um coração..."
No mais,
O penultimo semestre é estressante, mas as "quebras de rotina" estão cada vez mais frequêntes!...só espero que não virem rotina!!